Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007

Recauchutado

Trabalhar sem pensar
o passar de horas loucas
contidas de esforço e sofrimento...
Sem poder dizer de mim,
máquina que não pode parar.

Intorrogo as nuvens da incerteza
e continuo mudo, secreto...

É duro este tempo que me fere a alma...

Deixo correr o que sou...
Sinto novas mudanças que se aproximam.
Já nada pergunto... faço.

Preparo com a força dos meus braços
um novo caminho
mais aberto e extenso.

O futuro me preenche
num concreto vazio
de novas conquistas
nesta confiança que em mim deposito.
 
Manuel Neves
Índice:
publicado por A flor da pele às 21:46
link do post | comentar | favorito

"Aquele que possui o teu tempo, possui a tua mente.
Muda o teu tempo e mudarás a tua mente.
Muda a tua mente e mudarás o mundo."

(José Argüelles)

translações

Amanhecer (te)

Recauchutado

AMAduraR

Amor e carne...

Poeta sem classe

Isto!

Amar sem tempo...

Sem ti

Amar (te)

A folha branca

memorandum

Índice

poesia

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds